O abandono do Estádio das Laranjeiras: um erro estúpido de 17 anos

Vamos começar com uma pergunta: quanto custa colocar um estádio para funcionar sem torcida?

O Brasileiro de 2020, dado o  momento que estamos vivendo, tem oferecido essa resposta. Para que o Fluminense dispute uma partida no Maracanã, seu custo médio é de R$ 187 mil. Esse custo, que é o mesmo do Flamengo, muito provavelmente é o mais alto do campeonato, mas não posso fazer essa afirmação pois analisei os custos de apenas 7 clubes da Série A.

O que é mais irônico nessa situação é que é mais barato jogar sem torcida do que com ela.

Por que?

Porque analisando os números do Fluminense no segundo turno dos Brasileiros de 2019 e de 2018, nós vemos o peso absurdo do quadro móvel para atendimento da torcida.

Brasileiro 2019, segundo turno, 9 partidas

  • Média de Público de 21.410 pessoas;
  • Receita Média de R$ 353,3 mil;
  • Custo Médio de R$ 572,1 mil;
  • Prejuízo médio de R$ 218,8 mil;
  • Receita total das 9 partidas: R$ 3,17 milhões;
  • Custo total das 9 partidas: R$ 5,15 milhões;
  • Prejuízo total das 9 partidas: R$ 1,96 milhão.

O Fluminense não ganhou um único real nas 9 partidas analisadas. Nem mesmo em partidas com público superior a 30 mil pessoas, como os jogos contra Fortaleza, 39,9 mil pessoas, e Palmeiras, 30,9 mil pessoas, o clube conseguiu empatar receita com custo (R$ 215,5 mil e R$ 228,2 mil de prejuízo, respectivamente).

Nessa análise, não entraram as partidas contra Flamengo e Botafogo pois o mando de campo, assim como o resultado financeiro, era deles, e não do Fluminense.

Flamengo x Fluminense, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142266b.pdf

Botafogo x Fluminense, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142227b.pdf

Brasileiro 2018, segundo turno, 10 partidas

  • Média de Público de 11.718 pessoas;
  • Receita Média de R$ 163,7 mil;
  • Custo Médio de R$ 467,2 mil;
  • Prejuízo médio de R$ 303,5 mil;
  • Receita total das 10 partidas: R$ 1,63 milhão;
  • Custo total das 10 partidas: R$ 4,67 milhão;
  • Prejuízo total de R$ 3,03 milhões;

O Fluminense teve prejuízo em todas as 10 partidas analisadas, totalizando R$ 3,03 milhões de prejuízo. Nem mesmo em seu último jogo, contra o América-MG, com um público de 35.647, o Fluminense conseguiu empatar receita com custo: o prejuízo nesse jogo foi de R$ 362,6 mil.

Nessa análise, não considerei a partida contra o Flamengo pois o mando de campo e o resultado financeiro era deles. Contudo, vale a pena fazer um comentário: neste jogo, com um público de 52.924 mil pessoas, a receita foi de R$ 1,11 milhão e a despesa de R$ 1,14 milhão. Mesmo com um público superior a 50 mil pessoas, o lucro do Flamengo foi de ridículos R$ 30,3 mil. Isso é um enigma:

Flamengo x Fluminense, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142282b.pdf

Vocês repararam que o custo médio e total em 2018, com a Odebrecht, foi menor que o custo em 2019, sem a Odebrecht? Eu tentei entender o motivo dessa diferença, mas não consegui chegar a uma conclusão. O que era para ficar mais barato, ficou mais caro. Não entendo essa lógica.

“Ahhh, mas o prejuízo do Fluminense em 2019 foi menor que em 2018”

Sim, mas só porque sua média de público, consequentemente sua receita, foi maior. As 9 partidas do Fluminense pelo segundo turno do Brasileiro de 2019 custaram R$ 5,15 milhões. As 10 partidas do Fluminense no segundo turno do Brasileiro de 2018, com a Odebrecht, custaram R$ 4,67 milhões. O Fluminense teve um mando de campo a mais em 2018, e mesmo assim seu custo com seus jogos foi menor. 

Sinceramente, não consigo entender isso. O custo do estádio sob a administração de Fluminense e Flamengo ficou mais caro que sob a administração da Odebrecht.

Pessoal, todos esses números estão nos boletins financeiros disponibilizados no site da CBF. Eu não inventei nada.

E aonde eu quero chegar?

Eu quero chegar nas Laranjeiras.

O último jogo oficial disputado pelo clube foi no dia 26 de fevereiro de 2003, há quase 20 anos atrás, quando o Fluminense empatou com o Americano em 3×3 (abriu 3×0 e tomou o empate). Desde então, quase todas as suas partidas foram disputadas no Maracanã, independente do custo do estádio, ou em perambulações fantasmagóricas por estádios como Engenhão, Volta Redonda e São Januário. E quando precisamos descer ainda mais no fundo do poço, já fomos parar em estádios como Los Larios, do Duque de Caixas, em Xerém.

Na época, foi construída uma narrativa de que o estádio não se adequava mais às normas do futebol brasileiro. Balela. Se o Fluminense tivesse querido, teria sentado, adequado o estádio e as normas teriam sido adaptadas para que as Laranjeiras continuassem a ser utilizadas.

Para piorar a situação, o clube abandonou a manutenção do estádio. Esse abandono fez com que o segundo nível da arquibancada fosse condenado. Ou seja, caso seja realizado um jogo no estádio, a arquibancada superior pode simplesmente cair.

Pessoal, essa informação foi levantada pela NetFlu em reportagens específicas sobre o estádio em maio e junho de 2016. Segue os links:

A única parte saudável do estádio é a arquibancada social que está acoplada à sede. Saudável porque cuidaram dela, fizeram a manutenção.

A negligência com o estádio é assustadora, da mesma forma que a negligência sobre a sua importância para os números e a saúde financeira do clube.

Eu analisei os custos para fazer um estádio funcionar de 6 clubes da Série A, além do Fluminense com sua média de custo de R$ 187 mil.

Clubes com arenas novas:

  1. Grêmio, R$ 61,3 mil;
  2. Corinthians, R$ 48,5 mil;
  3. Athletico-PR, R$ 40,8 mil.

Um clube com um estádio antigo:

  1. Santos, R$ 61,8 mil.

Agora estou chegando aonde eu quero chegar.

Se as Laranjeiras fossem remodeladas, acredito que o estádio ficaria num formato próximo ao dos estádios do Bragantino e do Goiás. Os custos deles:

  1. Bragantino, R$ 49,3 mil;
  2. Goiás, inacreditáveis R$ 36 mil.

Repetindo: o custo do Goiás é de R$ 36 mil por partida, enquanto o custo do Fluminense é de R$ 187 mil.

Muito provavelmente, o custo do Goiás é o menor da Série A. O Goiás não tem mandado suas partidas no Serra Dourada, e sim num estádio chamado Hailé Pinheiro com capacidade para 12.500 pessoas.

Se os estádios continuarem sem público até o final do campeonato, a projeção de prejuízo do Goiás para realização de suas partidas 19 partidas com mando de campo é de R$ 685,6 mil. A projeção do Fluminense é de absurdos R$ 3,5 milhões.

Isso num clube que diz vender o almoço para pagar o jantar, que te pede para se associar para ajudá-lo, mas ao mesmo tempo queima dinheiro de uma forma que nem mesmo uma criança faria.

Detalhe: grande parte do que o clube arrecada com o sócio-torcedor, acaba sendo utilizado para cobrir esse rombo com os prejuízos financeiros dos jogos.

Agora pense comigo: quanto o Fluminense queimou de 2003 a 2020 por ter abandonado de forma irresponsável e criminosa as Laranjeiras?

Eu não tenho como estimar esse número, mas posso afirmar que é uma fortuna o que o clube queimou nesses 17 anos. UMA FORTUNA. São milhões e milhões que o clube deixou escorrer pelo ralo.

Posso também afirmar, categoricamente, que essa fortuna teria mais do que suficiente para construir um novo estádio no local com capacidade para pelo menos 10 mil pessoas. Esse estádio, com essa capacidade, já teria sido suficiente para o Fluminense tapar grande parte desse buraco negro de recursos, que há anos é esfregado da cara de todo mundo, mas que ninguém faz absolutamente nada.

Esse estádio teria sido utilizado para uma infinidade de jogos com públicos de até 10 mil pessoas que o Fluminense disputou nesses 17 anos pelo Estadual*, cujos custos são mais caros que no Brasileiro, nas fases iniciais da Copa do Brasil e do próprio Brasileiro.

Para nosso desespero, eu não duvido nada que haja algum “jênio” no Laranjal que já tenha dito internamente que o prejuízo do clube com o Maracanã diminui por não haver torcida. 

Do Fluminense, eu espero tudo.

*Pelo carioca de 2020, nas partidas contra Portuguesa, Boavista, Madureira e Resende, o prejuízo total foi de R$ 1.459.176,53. A média de público dessas quatro partidas foi de 9.694 pessoas. Os boletins financeiros dessas partidas estão no site da Federação de Futebol do Rio de Janeiro.

Relação dos jogos do Fluminense analisados

Brasileiro de 2019, segundo turno, 9 jogos

  1. Fluminense x Fortaleza, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142367b.pdf
  2. Fluminense x Palmeiras, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142367b.pdf
  3. Fluminense x Atlético-MG, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142327b.pdf
  4. Fluminense x Vasco, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142297b.pdf
  5. Fluminense x Chapecoense, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142277b.pdf
  6. Fluminense x Athletico-PR, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142257b.pdf
  7. Fluminense x Bahia, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142247b.pdf
  8. Fluminense x Grêmio, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142217b.pdf
  9. Fluminense x Santos, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2019/142207b.pdf

Brasileiro 2018, segundo turno, 10 jogos

  1. Fluminense x América-MG, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142375b.pdf
  2. Fluminense x Ceará, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142343b.pdf
  3. Fluminense x Sport-PE, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142329b.pdf
  4. Fluminense x Vasco, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142312b.pdf
  5. Fluminense x Atlético-MG, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142296b.pdf
  6. Fluminense x Paraná, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142278b.pdf
  7. Fluminense x Grêmio, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142261b.pdf
  8. Fluminense x Botafogo, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142235b.pdf
  9. Fluminense x Vitória, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142228b.pdf
  10. Fluminense x Corinthians, https://conteudo.cbf.com.br/sumulas/2018/142195b.pdf

As súmulas das quatro partidas do Estadual de 2020 que foram mencionadas no final do texto:

Fluminense x Portuguesa, http://www.fferj.com.br/Campeonatos/RenderDoc?caminho=http%3A%2F%2Ffferj.azurewebsites.net%2Fadmin%2FAzureStorage%2FGetDocument%3Fpath%3D2020%2F1%2F24%2F1a86def7-4741-4e34-835a-fdbf413c4a6a.pdf&titulo=Ta%C3%A7a%20Guanabara-2%C2%AA-Rodada-Border%C3%B4-29-Fluminense%20FC%20x%20AA%20Portuguesa-Coren-07-2020&extensao=pdf

Fluminense x Boavista, http://www.fferj.com.br/Campeonatos/RenderDoc?caminho=http%3A%2F%2Ffferj.azurewebsites.net%2Fadmin%2FAzureStorage%2FGetDocument%3Fpath%3D2020%2F2%2F3%2F0168d75b-e6ed-4975-8146-e9c995156c89.pdf&titulo=Ta%C3%A7a%20Guanabara-5%C2%AA-Rodada-Border%C3%B4-45-Fluminense%20FC%20x%20Boavista%20SC-Coren-10-2020&extensao=pdf

Fluminense x Madureira, http://www.fferj.com.br/Campeonatos/RenderDoc?caminho=http%3A%2F%2Ffferj.azurewebsites.net%2Fadmin%2FAzureStorage%2FGetDocument%3Fpath%3D2020%2F3%2F2%2F6b366cd6-b78e-4823-b739-9a972694c893.pdf&titulo=Ta%C3%A7a%20Rio-1%C2%AA-Rodada-Border%C3%B4-71-Fluminense%20FC%20x%20Madureira%20EC-Coren-14-2020&extensao=pdf

Fluminense x Resende, http://www.fferj.com.br/Campeonatos/RenderDoc?caminho=http%3A%2F%2Ffferj.azurewebsites.net%2Fadmin%2FAzureStorage%2FGetDocument%3Fpath%3D2020%2F3%2F9%2F87fdc3ef-7eae-4ad9-9fb0-c79abe4651e1.pdf&titulo=Ta%C3%A7a%20Rio-2%C2%AA-Rodada-Border%C3%B4-80-Fluminense%20FC%20x%20Resende%20FC-Coren-15-2020&extensao=pdf

Jorge Priori é torcedor do Fluminense, gosta muito de história, sabe fazer conta e tem paciência para encontrar os boletins financeiros dos jogos na internet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s